ACESSE: WWW.CFNOTICIA.COM.BR

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Área próxima ao Lixão serve de fonte de renda para dezenas de famílias

FONTE: SITE  CF NOTICIA - CLIQUE AQUI !!!

São Francisco do Brejão – Nossa reportagem esteve na tarde desta terça feira (21) na área onde é depositado o lixo coletado na cidade. A poucos metros do Lixão, percebem-se as primeiras casas, onde pais de famílias, dizem pretender residir, tão logo consigam a instalação de energia elétrica.

Segundo os senhores Edivan Moura e Francisco Barros de Araújo (Chiquim), aproximadamente 50 pessoas tiram da área o sustento de suas famílias. Segundo os entrevistados, as maiorias dos lotes são de ‘meia linha’ e duas linhas de terras. Com raríssimas exceções, tem pessoas detentoras de quatro, e talvez um único proprietário tenha seis linhas. Na verdade, como os entrevistados sugerem; ninguém é dono, até porque toda a extensão territorial pertence à empresa VALE. Eles são posseiros. Os terrenos são apenas “direitos”. Para comprar o “direito” de uma linha, ‘hoje’, paga-se entre dois e três mil reais.

Nestas áreas; os posseiros plantam amendoim, mandioca, banana, coco, abacaxi, caju, feijão... A grande maioria também cria galinha. E a unanimidade talvez seja a criação de porcos. “Moço, é nós que estamos abastecendo o comércio local com carne suína. Todos os dias saem dezenas de porcos daqui para os açougues”; destacou Chiquim. Ainda de acordo com mesmo, a mandioca quase toda é vendida na cidade, especificamente, para as mulheres que vendem bolos, merendas pela manhã.

Ao deparar com a área, a impressão que a reportagem teve foi dos famosos ‘cinturões verdes’. A exceção, porém, seria o grunhir dos porcos. “Apesar de fazer parte”. O certo é que é impressionante a força de vontade de quem realmente quer trabalhar. Roçando as dificuldades, driblando o arrocho da burocracia, valsando bem com ferramentas próprias, dezenas de pais de famílias vão criando e ‘procriando’ no dia a dia brejaoense.

Segundo Chiquim, o desejo de muitos é morar lá mesmo. “Venho pra cá cedo, trabalho até meio dia, quando vou para o Brejão, para casa, almoçar, e logo volto pra cá de novo, e aqui fico até praticamente escurecer < risos >. Olha aqui minha redinha... Menino, na hora que tiver energia, a maioria vai morar é aqui mesmo”; concluiu.

Contraste

Muito perto de onde estes homens atuam diariamente, passa uma ferrovia, e a rodovia, de onde se avista a entrada para o Balneário Pacarú, bem ao lado de onde estão vendendo terrenos para um loteamento, que em breve deverá ser mais um grande bairro. Contrastes, também, de uma ‘pequena’ cidade.

* Nota do Site; Vale à pena conferir. Se for possível passe por lá e veja como é bonito vê o retrato fiel do ser humano com SH, maiúsculo, de (super-homens).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários